segunda-feira, 16 de maio de 2011

Cientistas desenvolvem filme plástico especial que detecta comida podre

Cientistas alemães desenvolveram um filme plástico especial que muda de cor em contato com comida podre, possivelmente em breve  carne ou peixe estragadado  no supermercado será uma coisa do passado.

Os pesquisadores do Fraunhofer Research Institution for Modular Solid State Technologies em Munique, criaram um "filme sensor" que se transforma de amarelo para azul. Pode ser mais barato adicionado à embalagem de alimentos para que os compradores possam ver com seus próprios olhos se a comida ainda este boa e evitar potenciais intoxicações alimentares.

- Não há nenhuma garantia nos avisos que dizem: “melhor consumir até antes de..”, se por exemplo, o alimento estiver  armazenado indevidamente", disse a pesquisadora Anna Hezinger, "Com isso, você realmente vê quando a carne está podre.

O filme, só vai acrescentar alguns centavos para o custo dos pacotes de carne, frango ou peixe, funciona como papel de tornassol, que é usado para detectar a acidez. Um corante no filme plástico reage quimicamente com aminas - moléculas desprendidas dos alimentos quando se deterioram.

"À medida que a deterioração dos microrganismos na carne, aminas bio-orgânicos são liberados para o ar no interior da embalagem, o  Dr. Hezinger disse: "Nós desenvolvemos este (plástico) para carne e peixe, mas quase todos os alimentos frescos libera essas aminas."

O instituto teve o apoio de parceiros de indústrias de alimentos e de embalagem, embora o Dr. Hezinger não podia dizer quem eram.

Os clientes alemães poderam ver a nova embalagem em breve, provavelmente em um ano, ela disse. Porque é barato para fazer, o filme pode ser adicionado a uma vasta gama de embalagens.

Fraunhofer cientistas já utilizaram o filme para fazer curativos de primeiros socorros que indicam se a ferida está infectada, ela disse.

Eles também estão trabalhando em camisas que mudam de cor quando o atleta está aficando desidratado e precisa beber mais água. Ao largar fluidos corporais, o suor torna-se mais ácido. Polímeros de plástico na camisa podem detectar esta alteração antes que se torne potencialmente perigosa.

Fonte: http://www.thelocal.de/sci-tech/20110504-34797.html
Postar um comentário